Alimentação à base de plantas: a melhor forma de reduzir o impacto ambiental
Compartilhe

Alimentação à base de plantas: a melhor forma de reduzir o impacto ambiental

100 Foods

11 mar , 2021

 

Seguir uma dieta a base de plantas é a melhor forma de reduzir o impacto ambiental na Terra, e isso pode ser comprovado pela ciência.

 

Pesquisadores da renomada Universidade de Oxford, na Inglaterra, descobriram que cortando laticínios e carnes da dieta, é possível reduzir a emissão de CO2 em mais de 73%. Indo mais além, se todos parassem de comer carne, o desmatamento reduziria em 75%, ou seja, uma área equivalente ao tamanho dos Estados Unidos, China, Austrália e Europa juntas.

Este estudo, publicado pela revista Science, é uma das análises mais abrangentes e detalhadas até o momento, extraindo dados de quase 40.000 fazendas em 119 países. Dentre os achados, a pesquisa revelou que a produção de leite e carne é responsável por 60% da emissão de CO2 total proveniente da agricultura, e que em contrapartida, representa apenas 18% de todas as calorias ingeridas por seres humanos e apenas 37% da ingestão total de proteínas.

“Uma dieta vegana é provavelmente a maior maneira de reduzir seu impacto no planeta Terra, não apenas gases de efeito estufa, mas acidificação global, eutrofização, uso da terra e uso da água”, ressaltou Joseph Poore, da Universidade de Oxford, no Reino Unido, à pesquisa. “O efeito é muito maior do que não voar mais de avião ou comprar um carro elétrico”, acrescentou.

A pesquisa também aprofundou-se em estudar diferentes técnicas usadas para produzir o mesmo alimento, e encontrou diferenças consideráveis em termos de impacto ambiental.

Por exemplo, o gado de corte criado em áreas de pastos naturais, utiliza 50% menos terra que aqueles criados em áreas de desmatamento. Além disso, o gado criado em áreas desflorestadas também produz 12 vezes mais CO2 na camada de ozônio do que aquele criado em áreas fora de risco.

“Converter grama em carne é como converter carvão em energia. Sempre tem um impacto enorme para o planeta”, garante Poore.

Ele também enfatizou que alguns métodos de produção como a pesca e carne com dieta verde (à base de capim), erroneamente vistos como mais sustentável pelas pessoas, exercem um impacto enorme ao meio ambiente. “Todos aqueles peixes depositam seus excrementos e ração não consumida no fundo das lagoas, onde quase não há oxigênio, tornando este o ambiente perfeito para a produção de metano, tóxico para o meio ambiente” 

Todos esses dados são o resultado de um longo projeto de 5 anos de duração, que surgiu inicialmente para entender se existia algum tipo de produção sustentável e que ao decorrer dos anos foi mais além. 

Joseph passou a aplicar todo o conhecimento obtido em sua vida pessoal e aderiu completamente à uma dieta plant based, parando de comer carne e produtos de origem animal por completo após o primeiro ano. “Esses impactos não são necessários para sustentar nosso modo de vida atual. A questão é quanto podemos reduzi-los e a resposta é muito”, concluiu Joseph.

 

CONTINUE CONECTADO

Se você tem fome de conhecimento e não tem dificuldade de abraçar novas ideias, continue seguindo o blog da 100 Foods e contribuindo para a mudança e consciencitização do planeta. Existem muitos artigos interessantes sobre alimentação plant based, sustentabilidade e novidades relacionadas a 100 Foods que temos certeza que você irá gostar.

Se tiver dúvidas ou sugestões, fique à vontade para nos contatar em contato@100foods.com.br ou pelo nosso Instagram.