Por que você não deve se alimentar como um homem das cavernas
Compartilhe

Por que você não deve se alimentar como um homem das cavernas

100 Foods

24 mar , 2021

Só porque costumávamos comer carne, deveríamos continuar comendo agora?

Para responder essa pergunta, vamos voltar ao passado.

É verdade que sempre que o homem pré-histórico tinha a oportunidade, comia carne. Mas isso não quer dizer que o consumo era frequente.

Isso porque o porte e a agilidade dos animais tornava difícil capturar o jantar, além das ferramentas existentes na época serem muito rudimentares. Portanto, a inclusão de carne vermelha no cardápio se tornava muito mais difícil, e não ocorria diariamente, talvez sequer semanalmente.

Além disso, de acordo com a pesquisadora responsável pelo estudo sobre evolução humana, nutrição e carboidratos, publicado pela revista Quarterly Review of Biology, uma dieta baseada exclusivamente em carne impossibilitaria o desenvolvimento do cérebro humano, pois este processo exige uma grande quantidade de glicose presentes principalmente na forma de tubérculos, raízes, sementes e certos frutos.

Na verdade, coletas recentes de DNA realizadas em fósseis dos nossos antigos ancestrais comprovaram o oposto do que se pensava: sobrevivemos principalmente à procura de plantas, nozes e frutos, muito mais fáceis de se obter do que carne de animais de grande porte.

Outro fator importante a ser analisado, é a comparação entre o estilo de vida do homem do passado e do homem moderno. Antigamente, para caçar animais era necessário uma quantidade exorbitante de esforço físico, o que por consequência acabava implicando na eliminação de muitas calorias diárias e mantendo os corpos dos nossos ancestrais em forma. Que esforço fazemos hoje para ir atrás dos nossos alimentos, além de entrar em um carro e dirigir até o supermercado mais próximo? 

A evolução genética no decorrer dos anos também sugere uma melhor adaptação a uma dieta à base de plantas. De acordo com alguns especialistas em antropologia, existiriam alterações muito significativas em nosso trato digestivo, encurtando-o, e também na fisionomia dos nossos dentes, tornando-os menores e menos afiados.

 

A CARNE QUE COMIAMOS X A CARNE QUE COMEMOS

A carne bovina consumida há milhares de anos atrás, seria a mesma das prateleiras dos supermercados?

Definitivamente, ambas são muito distintas em sua propriedades. A indústria agropecuária produz carne para a sua venda em massa, e por isso, está repleta de antibióticos e produtos nocivos à saúde para conseguir atender a essa demanda constante. 

Existem diversos estudos que relacionam o consumo de carne vermelha em excesso ao aumento dos riscos de doenças do coração, como infarto e insuficiência cardíaca, diabetes tipo 2, demência e câncer, principalmente de intestino.

Seguir uma dieta plant-based não só é a melhor forma de preservar nossa saúde, mas também a do planeta.

 

Perguntas, comentários, novas ideias? Nós estamos interessados em conversas construtivas. Nos envie em contato@100foods.com.br.